/Opinião

Fim do horário de verão: Mais estudos seriam recomendáveis

Insalubre e irritante para alguns, saudável e lucrativo para outros, o horário de verão é tema de debates acalorados. Proposto por Benjamin Franklin, que percebeu que em certos meses do ano o sol nascia antes das pessoas se levantarem, o horário de verão é atualmente adotado por 70 países. O objetivo do cientista estadunidense era economizar vela. A motivação das economias contemporâneas é economizar energia e diminuir a demanda máxima no horário de ponta.

Mauricio T. Tolmasquim

Professor Titular da Coppe/UFRJ

Nota do CONFIES sobre a condenação de dirigentes da UFRJ

Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior

Declaração Pública

Conselho de Coordenação do CCS

Nota de apoio ao professor Carlos Levi

O Conselho Deliberativo da COPPE/UFRJ manifesta-se contra a sentença penal condenatória de dirigentes universitários por pretensas práticas de atos lesivos à Lei, promulgada sem a prudente cautela e o respaldo de evidência insofismável. Nesse contexto, o Conselho Deliberativo solidariza-se com o Prof. Carlos Antonio Levi da Conceição, integrante do Corpo Docente da COPPE/UFRJ, e manifesta o seu veemente protesto por sua condenação, responsabilizado por ato praticado enquanto Reitor da Universidade, ocorrido, porém, ao tempo em que sequer exercia esta função.

Conselho Deliberativo da Coppe/UFRJ

Os fundos patrimoniais e a tragédia

Ironias à parte, o Brasil se tornou um paraíso para uma pequena casta de burocratas que controlam os meios do Estado segundo seus próprios desígnios e fabricam vetos sem conhecer o mérito das propostas. Vejam o caso da Lei dos Fundos Patrimoniais (MP 851). Foi sancionada em 4/1/2019 pelo presidente Jair Bolsonaro com vetos que atendem só a burocracia econômica, sem ouvir nem o MCTIC, nem o MEC. Com isso, adiaram a eficácia de uma lei que chega ao País 100 anos após funcionar nos EUA, por exemplo. O projeto contava com apoio integral de entidades do setor acadêmico e de ciência e tecnologia. As razões para os vetos não se sustentam.

Fernando Peregrino

Diretor de Orçamento e Controle da Coppe/UFRJ

Uma agenda atual para Ciência e Tecnologia

Além da recomposição orçamentária, há uma agenda que pode convergir a comunidade científica e tecnológica e o novo governo. Apresentamos ela ao novo ministro da Ciência e Tecnologia, o astronauta Marcos Pontes. Trata-se de atender à insistente reclamação dos cientistas contra a excessiva burocracia para se fazer pesquisa no Brasil. Apenas nesse país um cientista tem de escolher meses antes de começar seu projeto se vai comprar prego ou parafuso para fazer um experimento.

Fernando Peregrino

Diretor de Orçamento e Controle da Coppe/UFRJ

Páginas